segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

Ouvidos


Não é de quem fala, empresta a boca e o traquejo , é nossa a voz, quando carrega nossos votos. Por isso, reclama elevado respeito. Não pode ser afrontada por um “cale-se!”, impunemente. Não deve, não.


A AMPEM, com seus vícios ou virtudes, nos congrega, com nossos vícios ou virtudes , e fala por nós. Privar-lhe a palavra, enaltece a intolerância e revela espírito menor.


Nas atuais circunstâncias, resvalaria num divã indagar por que imitar o papel de quem antes queria impor silêncio. Why?


Nesse ponto não há condescendência. Assumirei retirada ostensiva de qualquer solenidade no Ministério Público em que não se garanta zelo pela civilidade. Radical? Paciência. Não haverá porque dar ouvidos a quem não quiser ouvir nossa voz.


2 comentários:

sandro bíscaro disse...

Caro Juarez, faço minhas as suas palavras. E sugiro a todos os colegas o mesmo.

sobre a postagem disse...

LINDONJONSON:
A postagem sobre o cerceamento à fala da ampem nos eventos da pgj merecem uma observação. Atrasada por que passou-se uns dias sem ler o blog. Faz-se perguntas. Nos eventos da Ampem, tem sido chamado o representante da Pgj para falar também? quando a diretoria da ampem incensa um candidato ao cargo de pgj,sem consultar a classe,como aconteceu no último pleito, quem opta pelos outros, merece desconto na mensalidade? Os incomodados que se desassociem? Ampem possui diversas maneira de se comunicar com os integrantes da classe. Nos eventos, o representante da ampem, quando fala, resume-se a ler, burocraticamente. Ganha um livro do Reinaldo Polito, quem lembrar de algo que disse representante da ampem, nos eventos em que falou. Por outro lado, levar questões relacionadas às prerrogativas funcionais de um associado para os meios de comunicação, ou ao órgão de controle externo do MP, como foi o que consta nos relatos da ampem sobre a atuação funci onal da atual pgj, merecia uma deliberaçao coletiva da classe, onde algum representante da pgj poderia se pronunciar em assembleia da classe, que seria provocada a indicar o caminho a tomar. Para muitos colegas, a ampem tratava muito diferente as gestões passadas. Qual o significado disso?