domingo, 13 de setembro de 2009

Ô, raça!

Se o salto é único, duplo ou triplo, pouco importa, é o renitente cangurismo. Conselheiros continuam transformando promoções por merecimento no exercício do apadrinhamento, dos caprichos políticos, das vaidades pessoais, das vinditas e do acintoso desrespeito aos colegas.


Na sessão de 04/09, para a 5ª criminal de São Luís, na primeira votação concorreram os dois remanescentes; na segunda, os demais inscritos. Resultaram na lista tríplice os colegas Esdras Liberalino Soares Júnior, Márcia Haydée Porto de Carvalho e Karla Adriana Holanda Farias Vieira, todos com sete votos.


Enquanto o colega Luis Gonzaga Martins Coelho - o de maior antiguidade entre os inscritos - obteve 4 votos, quem está no final da lista recebeu 5, quem nem frequenta a comarca com regularidade ganhou os 7.


Aí tem!


Nilde

Nicolau

Suvamy

Rita

Argolo

Selene

Fátima

Esdras

Esdras

Esdras

Esdras

Esdras

Esdras

Esdras

Márcia

Márcia

Márcia

Márcia

Márcia

Márcia

Márcia


Nilde

Nicolau

Suvamy

Rita

Argolo

Selene

Fátima

PLino

PLino

Rosana

Rosana

PLino

PLino

PLino

Ilana

Gonzaga

Gonzaga

Gonzaga

Gonzaga

Elijeane

Selma

Karla

Karla

Karla

Karla

Karla

Karla

Karla

Um comentário:

francisco teomario disse...

Amigo Juarez,
Não ficou claro a quem vc faz referência, mas tudo bem a investigação cabe a Corregedoria, em todo caso a situação é grave e MERECE ser comentada.
Há muito me tornei crítico da modalidade promoção por merecimento, pois sempre acreditei que ela poderia se tornar instrumento de troca de favores(pessoais, políticos, etc.) no seio institucional. Escolher alguém para ser promovido por merecimento se reduz sempre a um ato de subjetivismo( a escolha é sempre fruto do íntimo). Isto é mais efetivo quando inexistem critérios de avaliação de méritos dos concorrentes. Ademais, penso que critérios "OBJETIVOS" para promover por merecimento é utopia, pois mesmo que fique regulamentado algum, ele será sempre a compreensão subjetiva de quem o criou.
Apesar disso, tenho que embora não se possa tonar a assiduidade como critério para definir quem merece mais, certamente não pode merecer sete votos de inteligentes conselheiros quem esporadiamente se faz presente à Promotoria de Justiça.

Hesitei comentar, pois muitos dirão: tudo isso é besteira, nada adianta, sempre foi assim e continuará sendo, eles promoverão quem bem quiser, trabalhe ou não, tenha compromisso insitucional ou não, é pra isso que existe e serve a ROMOÇÃO "MERECIMENTO". E continuarão falando: "Merece mais quem é amigo do conselho, quem devolve o voto recebido, quem visita os gabinetes". Porém não acredito num mundo estático e jamais me deixo aprisionar pela desesperança.
UM dia tudo será promoção por antiguidade, basta sermos probos.

Teomário Serejo , Promotor de Justiça de Açailândia/MA