segunda-feira, 17 de maio de 2010

Atentos e decididos

Candidatos atentos (aflitos). Eleitores decididos (aturdidos). Durante todo o dia de hoje (17), a eleição para a Chefia do Ministério Público. No começo da noite, conferidos os votos, preencheremos os espaços em branco, na tabela abaixo. Ao final, esperamos que seja feita a nomeação de quem mais votos obtiver.

Francisco Barros
72 votos
Gilberto Câmara
66 votos
Fátima Travassos
146 votos
Raimundo Nonato
152 votos

Pos post (07:48):
O jornalista Itevaldo Júnior publicou hoje (17) em seu blogue a informação de que a governadora nomeará quem for o mais votado.

Pos post (17:50):
Publicado o resultado

4 comentários:

Paulo disse...

Seja quem for o(a) novo(a) procurador(a)-geral que atente para a necessidade de fazer reformas administrativas e principalmente desacomodar dos seus respectivos reinos alguns jurrássicos (risofalsodáctila, risofalsodáctila1 e pedantessaura), que são incompatíveis com o que se espera de um servidor público isento.

Aloisio disse...

Muito contundentes os dois ofícios (AMPEM e CONAMP) dirigidos à Governadora Roseana Sarney para que ela nomeie o mais votado para o cargo de Procurador-Geral de Justiça.
Contra fatos não há argumentos. Contra a razão não há emoção.
Alegar "empate técnico" ou "segundo turno" como fez a candidata perdedora para tentar influenciar a escolha é no mínimo apelação.
A democracia DEVE prevalecer.
Parabéns aos membros que souberam escolher o melhor para a classe!
Parabéns aos servidores, que mesmo sem votar, souberam expressar sua indignação com a atual gestão e denunciar privilégios!

TEREZA disse...

LEMBRANÇA PARA QUEM JÁ DE MUITO ESQUECEU

A democracia é acima de tudo lembrar que:

1)Na escolha de qualquer dos dois candidatos mais votados, o importante é não esquecer que o Ministério Público é instituição que deve buscar realizar os interesses da coletividade e não cultuar benesses individuais;

2)Que o Ministério Público não deve abster-se a interesses de grupos internos, pois ao fim de uma eleição não resta vencedor um grupo, mas uma classe que precisa se voltar imediatamente para os interesses da sociedade.

3)Que a política de grupos tão arraigada que ali se instala não acresce, nem deixa vencedores, mas apenas sobrecarrega e empobrece a instituição, esta formada por pessoas em quem o povo acredita estar a frente e na luta pela obtenção de mudança pelos interesses comuns.

Tereza

Paulo disse...

De um lado a vontade de fazer como deveria ser: escolher o mais votado;
De outro, a pressão da segunda e seus aliados;
No final... uma surpresa: o terceiro ser escolhido.

Poderia ser assim. Afinal. É pra isso que serve a lista tríplice.

Que venham boas notícias: 1° ou 3°